quarta-feira, 4 de abril de 2012

Acre: R$ 4,7 bilhões investidos até 2014

Até 2014, o governo vai investir R$ 4,7 bilhões no Acre. Somente este ano será preciso executar R$ 1,2 bilhão. O governador Tião Viana apresentou a uma plateia de industriais todos os investimentos que serão feitos no Estado até o fim de sua gestão, em palestra proferida no auditório da Federação das Indústrias (Fieac)

O governador Tião Viana  (Sérgio Vale/Secom)

O Acre será o primeiro Estado do Brasil, segundo o Ministério das Cidades, a zerar o déficit habitacional. Será  investido R$ 1 bilhão em habitação e só a Cidade do Povo terá  mais de dez mil unidades, além de escolas, centro de saúde e toda infraestrutura necessária. A pedido do Sindicato dos Moveleiros, o governador Tião Viana se comprometeu a comprar esquadrias de madeira da indústria acreana para as casas que serão construídas.
Na piscicultura o investimento no complexo industrial será de R$ 50 milhões, além de R$ 35 milhões para a construção de cinco mil tanques e açudes. No ano passado foram construídos 1.169 tanques e a meta para este ano é de duas mil unidades. Nos polos e agroindústrias nos municípios, serão investidos R$ 52 milhões. Há ainda os sistemas de transportes, os R$ 216 milhões na economia florestal, os R$ 35 em educação e os R$ 40 milhões na Secretaria de Pequenos Negócios.
Segundo o presidente da Fieac, Carlos Sasai, a classe industriária tem boas expectativas em relação aos investimentos para este ano no setor. “O verão está chegando mais cedo e traz esperanças para a gente em todos os setores. Esperamos que todos esses recursos que serão investidos tragam novo ânimo para o setor. Nós estaremos de mãos dadas com o governador para que possamos atender todas as demandas do setor público”, comentou.
Saneamento integrado é uma das áreas que vai receber grande atenção do governo até 2014. Serão R$ 822,6 milhões investidos na melhoria do sistema de abastecimento de água e captação de esgoto. A pavimentação de ruas em todos os municípios (658 quilômetros) também recebe um investimento alto: R$ 553 milhões. O turismo, uma das áreas que mais gera emprego, não ficou de fora no mapa de recursos desta gestão. Serão R$ 23 milhões aplicados no setor, R$ 4,5 milhões somente na Escola de Gastronomia e Hospitalidade, que já inicia as primeiras turmas neste semestre. “O Acre vai ser referência em gastronomia na Amazônia, e os nossos jovens já  começam a ser treinados para isso. Em Xapuri, no Seringal Cachoeira, já temos o maior circuito de arvorismo”, disse Tião Viana.
Os investimentos do governo foram bem recebidos não só pelos empresários da indústria. Leandro Domingos fez questão de dizer que o comércio, sem a indústria aquecida, não se desenvolve. A mão-de-obra necessária para atender a grande demanda vem sendo preparada pelas instituições de ensino parceiras, como Senai, Senar, Instituto Dom Moacyr e Sebrae. “Nós sabemos da carência de profissionais nessas áreas e por isso já estamos preparando empreendedores, como carpinteiros, pintores e pedreiros”, disse o secretário de Pequenos Negócios, José Reis. Tião Viana acrescentou que faltam professores para os cursos profissionalizantes, pois o ritmo dos cursos está acelerado.
Sobre a principal reclamação da indústria - o fluxo de pagamento, que, devido à burocracia, sofre muitos atrasos -, o governador Tião Viana se comprometeu a dar um basta na demora. “Em algumas semanas teremos respostas sobre isso. Eu reconheço que a burocracia é o grande inimigo deste fluxo e que o controle precisa haver, mas sem atrapalhar transações honestas e trabalhos justos”, comentou.
Investimentos, como se vê, não vão faltar. “Nós precisamos da ajuda de vocês para executar tudo o que temos. Esse é  um grande desafio”, finalizou o governador.


Postar um comentário