sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Dirigente do PT é condenado no Acre a devolver R$ 484 mil

Secretário de Meio Ambiente do partido é apontado como sucessor de Chico Mendes

 Júlio Barbosa de Aquino, de Xapuri (AC)
O ex-prefeito de Xapuri (AC) e secretário nacional de Meio Ambiente do Partido dos Trabalhadores (PT), Julio Barbosa de Aquino, foi condenado pelo Tribunal de Contas do Estado do Acre (TCE-AC) a devolver R$ 484.122,30 aos cofres públicos municipais. O acórdão foi publicado na edição desta quinta-feira do Diário Oficial do Acre. Em 2003, quando prefeito de Xapuri, Aquino cometeu uma série de irregularidades, segundo o TCE-AC, dentre elas a “não comprovação da existência de recursos financeiros”, “ inconsistência no balanço patrimonial” e a “realização de despesas sem finalidade pública”.

O mesmo TCE-AC havia condenado Aquino, em janeiro de 2009, a devolver R$ 318.655,48 aos cofres do mesmo município pela “ausência de comprovação do saldo bancário” durante a gestão dele como prefeito, em 1999. Na ocasião, o dirigente petista também foi multado em 10% do valor a ser devolvido, ou seja, R$ 31.865,54.

Ex-seringueiro, Aquino conviveu com Chico Mendes e é apontado no Acre como um dos seus sucessores na luta pela preservação da Floresta Amazônica. O petista atualmente participa de palestras e fóruns Brasil afora defendendo os povos da floresta e a preservação do meio ambiente.

Julio Barbosa de Aquino foi o primeiro seringueiro a comandar uma prefeitura no interior da Amazônia, durante dois mandatos (1997-2005). Após o assassinato de Chico Mendes, em 1988, presidiu o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Xapuri e esteve à frente de importantes organizações sociais como o Conselho Nacional dos Seringueiros, o Grupo de Trabalho Amazônico e a Aliança dos Povos da Floresta. Leonardo Guandeline, O Globo
Postar um comentário